" /> Manutenção preventiva: Clique e entenda tudo sobre este assunto!

O que é manutenção preventiva? Por que devo fazer manutenções periódicas nos meus redutores e motoredutores?

A manutenção preventiva é essencial para garantir maior confiabilidade e eficiência em operações industriais, evitando riscos e prevenindo possíveis desgastes em equipamentos.

Você conhece este serviço? Não? Não se preocupe!

A manutenção preventiva industrial visa evitar qualquer tipo de falha e quebras em suas máquinas. Ou seja, ela não recupera o seu equipamento de alguma falha e sim, os previne para que os mesmos não apresentem falhas e problemas durante a operação.

Para maior entendimento sobre o que é manutenção preventiva, o que é um plano de manutenção, qual a diferença entre manutenção preventiva, preditiva e corretiva, qual é a mais indicada para a sua operação, dentre outras coisas, leia com atenção este post!

Preparados? Vamos lá!

Post manutenção preventiva - imagem ilustrativa para o blog post da Acoplast Brasil

O que é manutenção preventiva?

Diferentemente da manutenção preditiva, produtiva total, autônoma e corretiva, a preventiva consiste em uma série de medidas que são efetuadas com o objetivo de evitar prejuízos decorrentes de substituições e manutenções corretivas em sistemas e elementos industriais. Assim, ela efetua revisões periódicas em peças e componentes da sua operação.

Segundo a norma NBR-5462, as manutenções preventivas possuem o intuito de reduzir as probabilidades de falhas ou degradações que são provenientes do funcionamento incorreto ou intensivo de uma determinada máquina.

Ou seja, é importante ficar atento a produtividade e ao tempo de funcionamento dos equipamentos. Assim, você conseguirá medir e analisar o momento perfeito para que a manutenção seja aplicada.

Além disso, ela pode ser utilizada em diferentes tipos de equipamentos. Porém, uma aplicação muito comum e que é o foco deste artigo, é a utilização deste tipo de manutenção em máquinas e equipamentos industriais.

Portanto, veja abaixo alguns exemplos do que a manutenção preventiva pode fazer em sua operação industrial:

  • Revisões sistemáticas e periódicas da operação;
  • Lubrificação periódica nas máquinas;
  • Inspeção contínua dos equipamentos.

Com a utilização desse tipo de manutenção é possível determinar de forma precisa qual é o tempo de vida útil do seu equipamento. Assim, é possível planejar e determinar prazos para substituições de itens desgastados, que prejudicam a eficiência produtiva das máquinas.

Lembre-se, portanto, que o objetivo dessa manutenção é restabelecer as condições originais do equipamento e reduzir possíveis falhas de improdutividade.

Banner para serviço de manutenção de motoredutores Siemens e Simogear

Como faço para analisar se meu equipamento está em pleno funcionamento?

A partir da manutenção preventiva, é possível medir o grau de disponibilidade dos equipamentos.

Essa medição e análise são feitas de diferentes formas, veja algumas abaixo:

Inspeção das máquinas por meios sensoriais

Essa técnica é feita por meios sensoriais (olfato, paladar, tato, visão e audição). Porém, na maioria dos casos, ela é feita através da visão. Entretanto, há situações em que a inspeção será feita pelo olfato e audição.

Por exemplo: a inspeção por olfato será utilizada quando houver cheiros estranhos vindos da sua máquina e operação. E a audição ocorre quando há emissão de ruídos em sua operação.

Inspeções com instrumentos

A inspeção com instrumentos é feita a partir de técnicos especialistas que vão até o local e fazem toda a análise e identificação de possíveis falhas em suas máquinas.

Tal ação é recomendada para indústrias, pois traz maior confiabilidade no diagnóstico e, diferentemente da inspeção por meios sensoriais, a com instrumentos consegue encontrar falhas em estágios iniciais, evitando possíveis falhas funcionais em sua operação.

Lubrificação dos equipamentos

A falta de lubrificação está ligada diretamente aos desgastes das máquinas. Portanto é de extrema importância avaliar qual é o nível de lubrificação de cada equipamento e fazer revisões periódicas relacionadas a este nível.

Substituição dos componentes que apresentam falhas

Este último método é aplicado quando nenhum dos outros três resolveu. Nele você terá que substituir os componentes desgastados e que apresentam falhas, por novos.

É importante ressaltar que este tipo de manutenção é muito recomendado pelos fabricantes dos materiais e é eficaz em equipamentos onde as falhas de desempenho estão relacionadas diretamente com a sua idade ou com o seu histórico de falhas e quebras.

A partir disso, há dois tipos de falhas que ocasionam maior improdutividade em sua operação, as chamadas falhas potenciais e funcionais.

Vamos entender um pouco mais sobre elas?

Entendendo o que é falha potencial

Este tipo de falha ocorre quando problemas que estão em fases iniciais na sua operação, denunciam que algo está errado. Porém, como a falha está em estágio inicial, o equipamento continua conseguindo desempenhar a sua função.

É fundamental tratar rapidamente a falha potencial para que ela não vire uma falha funcional.

E a falha funcional? O que é?

A falha funcional é quando o problema já está em um estágio mais avançado, impossibilitando o funcionamento do maquinário.

Este tipo de falha impossibilita o desempenho funcional do equipamento. Ou seja, caso você não solucione um possível problema em sua operação, ele irá se agravar e se transformar em uma falha funcional.

Como a manutenção preventiva pode ser aplicada em minha indústria?

Para que a manutenção preventiva seja implantada com sucesso em sua indústria, é importante que você analise algumas informações do seu maquinário, como:

  • Quantas revisões já foram efetuadas nesta máquina? (Histórico de revisões, com justificativas e com relatos de qual ação foi tomada);
  • Alterações e troca de peças (quais peças já foram trocadas, quantas vezes?).

Com essas informações em mãos, é possível elaborar um plano de manutenção mais efetivo e funcional.

Leia também: “Quais são os 3 principais benefícios da manutenção preventiva?”

Como faço para elaborar um plano de manutenção preventiva?

Para elaboração de um plano de manutenção preventiva você deve responder às seguintes perguntas abaixo:

  1. A aplicação da manutenção preventiva em minha operação eliminará a ocorrência de falhas durante o processo?
  2. Caso haja falha, a aplicação desta atividade reduz os problemas e os impactos oriundos desta falha?
  3. Seria possível detectar previamente e diminuir as probabilidades das falhas funcionais com a aplicação de atividades preventivas?

Para que seja viável e justificável a aplicação da manutenção em sua operação uma das três respostas para as perguntas acima devem ser positivas.

Após isso, analise as suas respostas, equipamentos e verifique quais são as possíveis causas de falhas. Ou seja, como elas se manifestam em sua operação, quais as consequências delas para os resultados da sua indústria, etc.

Além disso, recomendamos que você separe as suas máquinas por funcionalidades. Feito isso, construa um planejamento de acordo com as categorias criadas.

Lembre-se! O plano de manutenção deve ser criado com o objetivo de reduzir as probabilidades de falhas que possam ocorrer em suas máquinas e equipamentos. Para isso, colete informações que você julgue necessário, como:

  • Tempo total de uso da máquina (tempo total de funcionamento);
  • Período de desgaste do equipamento (quanto tempo leva para que a máquina apresente algum sinal de desgaste?).

A partir da análise dessas informações, é possível saber em qual período determinado equipamento precisará de manutenção. Assim, você será mais efetivo durante a aplicação deste serviço em sua operação.

É importante tomar algumas precauções para criação deste plano, pois como a manutenção preventiva possui alto custo de aplicação e execução, toda a análise tem que ser planejada e efetuada com o máximo de cuidado, para que possíveis erros sejam evitados.

Por fim, é indispensável verificar a quantidade de dias que a produção precisará ser interrompida para que a manutenção seja efetuada.

Manutenção preventiva, preditiva ou corretiva? Saiba qual aplicá-la em sua indústria!

A NBR-5462 elenca, como já vimos, três tipos de manutenções que são efetuadas pelas indústrias, são elas:

  • Manutenção Corretiva;
  • Manutenção Preventiva;
  • Manutenção Preditiva.

O que irá definir qual tipo de serviço de manutenção você deve utilizar em sua empresa, é a estratégia que você adotou como forma de manter os seus equipamentos com altos níveis de disponibilidade e confiança.

Todo tipo de manutenção tem o seu valor e o seu objetivo. Porém, nosso conselho é que você evite ao máximo a manutenção corretiva, pois ela atua quando já há uma falha funcional em seus redutores e motoredutores, o que trará prejuízos relacionados à improdutividade em sua operação.

Portanto, se você quer evitar prejuízos em sua produção e garantir maior tempo de vida útil para suas máquinas, a manutenção preventiva ou preditiva será a melhor opção, pois elas evitam que os equipamentos cheguem em suas falhas funcionais.

Leia também: o que são redutores de velocidade? Saiba escolher o modelo ideal para sua empresa!

Qual a diferença entre manutenção preditiva e preventiva?

Ao contrário do que muitos pensam, a manutenção preditiva se complementa com a preventiva e não a substitui.

Assim, percebe-se que enquanto a manutenção preventiva é feita de forma planejada e programada, a preditiva faz a análise dos dados que são obtidos dos maquinários, a partir de um monitoramento desses ativos.

As duas manutenções possuem o intuito de prever e evitar com que falhas ocorram.

Portanto, responda a pergunta abaixo:

Você quer obter melhores resultados em sua operação?

Se a resposta para a pergunta acima foi “sim”, então recomendamos a aplicação e utilização desses dois tipos de manutenção em seu maquinário.

Para maior entendimento sobre a diferença entre essas duas manutenções, mais a corretiva, veja o vídeo abaixo:

Cuidados com a manutenção preventiva

Qual cuidado deve tomar com a manutenção preventiva? A realização da manutenção preventiva pode trazer prejuízos?

Depende da sua organização!

Geralmente, falamos em desvantagens da manutenção preventiva quando a companhia não toma os devidos cuidados.

Primeiramente, você deve ficar de olho em seu estoque. É indispensável que o armazenamento das peças esteja sendo controlado, para que a produção não precise parar por mais dias do que o planejado.

Em segundo lugar, a indústria precisa investir na contratação de bons profissionais e na escolha de serviços de manutenção que sejam de qualidade.

É importante, também, que a empresa se organize e mantenha um banco de dados limpo, com informações sobre seus equipamentos, com todas as datas de revisões e alterações.

Só assim você conseguirá atingir resultados positivos com esse tipo de manutenção e, claro, prevenir a sua organização contra possíveis prejuízos.

Algumas desvantagens da aplicação da manutenção preventiva em sua indústria são:

  • Máquina parada durante a realização da manutenção;
  • Dificuldade de planejamento, falhas em fases de troca e reparo dos equipamentos;
  • Alto custo.

Vantagens de aplicar a manutenção preventiva

Apesar de ter alguns pontos que precisam de cuidado, esse serviço é extremamente vantajoso para sua indústria.

Conheça todos os benefícios que ele pode proporcionar abaixo!

Equipamentos conservados

A manutenção preventiva pode ser um excelente mecanismo para conservar os equipamentos e máquinas por maior período de tempo. Em termos gerais, a vida útil de qualquer maquinário aumenta com a troca planejada de componentes.

A ideia é escolher um custo moderado, da reposição de itens selecionados, em vez de um prejuízo dos grandes, com a troca do equipamento inteiro. Além de economizar, você não perde tempo útil de produção.

A estrutura da máquina fica prevenida contra degeneração, quebra de peças e falhas no funcionamento geral.

Evitar a manutenção corretiva

A manutenção preventiva possui um alto custo que deve ser calculado durante a execução do plano de manutenção. Entretanto, o custo da manutenção corretiva pode ser ainda maior.

Geralmente, as manutenções corretivas são realizadas em maior proporção e número de peças e quando o equipamento começa a apresentar falhas ainda é necessário descobrir onde está localizado o problema.

Todas essas ações demandam tempo, investimento e profissionais capacitados. Um reparo de maior escala pode ser prejudicial para o orçamento da companhia por um grande período de tempo.

Mais tempo para inovar

Pesquisas, comprar peças novas para os equipamentos e verificar maquinários diferentes são ações que demandam tempo. Portanto, se a sua equipe não estiver ocupada reparando problemas provenientes da falta de manutenção, consequentemente, ela terá maior tempo e disponibilidade para inovar.

Além disso, ao planejar a vida útil de cada peça, você consegue pesquisar por preços competitivos e por melhores condições de mercado enquanto o item ainda está bem conservado. Essa é uma ótima medida para economizar e reduzir custos em um futuro próximo.

Resolução de problemas

Com uma revisão periódica em suas máquinas e equipamentos é possível detectar falhas e defeitos logo no início. Com isso, você consegue atuar rapidamente em qualquer tipo de problema que possa estar ocorrendo em sua operação e, como consequência, sua fábrica não terá sua capacidade produtiva prejudicada.

A manutenção preventiva é a escolha certa para mim?

Depende da situação! Como vimos ao longo do artigo, se o seu equipamento já estiver apresentado uma falha funcional, a manutenção corretiva será a escolha certa.

Porém, se você fizer um plano de manutenção periódico, a preventiva pode ser muito eficiente para sua organização.

Portanto, com a análise correta das informações é possível saber o momento exato de atuação. Assim você evita que sua operação pare por falhas nos equipamentos, atrasos de entregas de produtos e desgastes em relação à imagem da empresa.

Previna possíveis problemas com a manutenção preventiva!

Como no decorrer deste artigo, esse serviço mantém a sua operação industrial em pleno funcionamento, com alta qualidade e com garantias para que não haja riscos de mau funcionamento.

Entretanto, para maior eficiência, é indispensável apostar em empresas que oferecem esse tipo de serviço de forma especializada!

Lembre-se! Essa prática substitui componentes críticos de redutores e motoredutores, antes que as mesmas quebrem. Portanto, ela reduz significativamente a probabilidade do equipamento quebrar e apresentar falhas funcionais.

Caso você queira maiores informações sobre como fazer manutenção em redutores de velocidade, veja o nosso post: “Como fazer a manutenção de Redutores Industriais: 4 Passos“.

Além disso, é importante ter em mente que todos os equipamentos e máquinas estão sujeitos a desgastes. Para evitar a perda de desempenho desses ativos é fundamental recorrer às manutenções.

Se você não quer passar por apertos e deseja impulsionar ainda mais os resultados da sua operação industrial, conheça nosso serviço exclusivo de manutenção preventiva em redutores de velocidade multimarcas e motoredutores Siemens.

Espero tê-lo ajudado e até a próxima!

Deixe um comentário